26 de abr de 2011

Especialmente para ti!

Os animais

   As crianças do Jardim-de-Infância de Alcantarilha, (sala 1, da Educadora Antónia Ferreira) também trabalharam a temática "Os animais" e construiram animais fantásticos a partir de recortes em forma de coração!
   Parabéns aos artistas!

Os animais



 
 As crianças da sala 2, do Jardim-de Infância de Armação de Pêra, da Educadora Isilda Candeias, realizaram este lindo painel, após terem feito, em casa, uma recolha de imagens de animais, com os seus familiares.


"O H perdeu uma perna"

   A turma do 1º ano de escolaridade da E. B.1 de Alcantarilha trabalhou o livro "O H perdeu uma perna".
   Este livro, da autoria de Luísa Ducla Soares, é um dos livros indicados pelo Plano Nacional de Leitura.
   Com a ajuda da professora Vânia Abreu, os alunos realizaram este lindo trabalho em formato de livro.

          Parabéns a todos, professora e alunos, por esta boa prática!



25 de Abril

25 de Abril

Consulta os documentos existentes na tua Biblioteca Escolar sobre esta data, tão significativa e importante para todos os portugueses!

Autor do Mês - António Torrado

                                                                                         Biografia

   António Torrado nasceu em Lisboa em 1939. Licenciou-se em Filosofia pela Universidade de Coimbra. Dedicou-se à escrita desde muito novo, tendo começado a publicar aos 18 anos. A sua actividade profissional foi é diversa: escritor, pedagogo, jornalista, editor, produtor e argumentista para televisão. Tem trabalhado em parceria com Maria Alberta Menéres em diversos livros e programas de televisão. Actualmente, é Coordenador do Curso Anual de Expressão Poética e Narrativa no Centro de Arte Infantil da Fundação Calouste Gulbenkian. É o professor responsável pela disciplina de Escrita Dramatúrgica na Escola Superior de Teatro e Cinema. É dramaturgo residente na Companhia de Teatro Comuna em Lisboa. Sendo consensualmente considerado um dos autores mais importantes na literatura infantil portuguesa, possui uma obra bastante extensa e diversificada, que integra textos de raiz popular e tradicional, mas também poesia e sobretudo contos. Reconhece a importância fundamental da literatura infantil enquanto veículo de mensagens, elegendo como valores a promover a liberdade de expressão e o respeito pela diferença. António Torrado utiliza com frequência o humor em algumas das suas histórias. Por outro lado, em alguns textos de carácter alegórico ou de ambiente oriental, é o registo poético que predomina. De resto, os valores poéticos assumem para o autor uma posição central em qualquer projecto educativo. Recentemente, começou também a trabalhar novelas e romances para a infância e juventude, mas a vertente mais marcada da sua actividade nos últimos tempos é, sem dúvida, o teatro.



                                 Obras Editadas

A Chave Do Castelo Azul (1969) A Nuvem E O Caracol (1971)

O Veado Florido (1972) Pinguim Em Fundo Branco (1973)O Rato Que Rói (1974)

O Manequim E O Rouxinol (1975) O Jardim Zoológico Em Casa (1975)

Cadeira Que Sabe Música (1976) O Trono Do Rei Escamiro (1977)

Há Coisas Assim (1977) Joaninha À Janela (1977)

Hoje Há Palhaços (1977) A Escada De Caracol (1978)

Vasos De Pé Folgado (1979) Como Se Faz Cor-De-Laranja (1979)

História Com Grilo Dentro (1979) O Tambor-Mor (1980)

O Tabuleiro Das Surpresas (1981) O Pajem Não Se Cala (1981)

Os Meus Amigos (1983) Caidé (1983)

O Livro Das Sete Cores (1983) O Mercador De Coisa Nenhuma (1983)

História Em Ponto De Contar (1984) O Adorável Homem Das Neves (1984)

A Janela Do Meu Relógio (1985) O Vizinho De Cima (1985)

O Elefante Não Entra Na Jogada (1985) O Rei Menino (1986)

Zaca-Zaca (1987) Devagar Ou A Correr (1987)

Como Se Vence Um Gigante (1987) Dez Dedos De Conversa (1987)

Uma História Em Quadradinhos (1989) Da Rua Do Contador Para A Rua Do Ouvidor (1990)

André Topa-Tudo No País Dos Gigantes (1990) Toca E Foge Ou A Flauta Sem Mágica (1992)

Vamos Contar Um Segredo (1993) Conto Contigo (1994)

Teatro Às Três Pancadas (1995) A Donzela Guerreira (1996)

As Estrelas – Quando Os Reis Magos Eram Príncipes (1996)

*Mais informação em: http://www.portaldaliteratura.com/autores.php?autor=23#ixzz1JODM5wFp



Poema do Mês

Poema do Mês – Abril

Vassourinha




Uma vassoura vassoura

No espaço por vassourar,

Enquanto a Dona Senhora:

- Não quero vê-la parar!



Uma vassoura vassoura

Vassourinha vassoureia,

Enquanto a Dona Senhora:

-E não me faça poeira!



Uma vassoura vassoura

Vassoura vassoureante,

Enquanto a Dona Senhora

-Olhe que estou vigilante!



Uma vassoura vassoura

Vassoura vassouramente,

Enquanto a Dona Senhora:

-Quero-a mais persistente!

 
   
In “Vassourinha”, António Torrado



13 de abr de 2011

Foi uma festa!

Aqui ficam algumas fotografias que recordam a Festa da Leitura!

 
Foi mesmo uma grande Festa!                                              



12 de abr de 2011

2 de Abril - Dia Internacional do Livro Infantil

Mensagem do 2 de Abril de 2011, Dia Internacional do Livro Infantil



O livro recorda

Aino Pervik

   “Quando Arno e o seu pai chegaram à escola, as aulas já tinham começado.”

   No meu país, a Estónia, quase toda a gente conhece esta frase de cor. É a primeira linha de um livro intitulado Primavera. Publicado em 1912, é da autoria do escritor estónio Oskar Luts (1887-1953).

   Primavera narra a vida de crianças que frequentavam uma escola rural na Estónia, em finais do século XIX. O Autor escrevia sobre a sua própria infância e Arno, na verdade, era o próprio Oskar Luts na sua meninice.

   Os investigadores estudam documentos antigos e, com base neles, escrevem livros de História. Os livros de História relatam eventos que aconteceram, mas é claro que esses livros nunca contam como eram de facto as vidas das pessoas comuns em certa época.

   Os livros de histórias, por seu lado, recordam coisas que não é possível encontrar nos velhos documentos. Podem contar-nos, por exemplo, o que é que um rapaz como Arno pensava quando foi para a escola há cem anos, ou quais os sonhos das crianças dessa época, que medos tinham e o que as fazia felizes. O livro também recorda os pais dessas crianças, como queriam ser e que futuro desejavam para os seus filhos.

   Claro que hoje podemos escrever livros sobre os velhos tempos, e esses livros são, muitas vezes, apaixonantes. Mas um escritor actual não pode realmente conhecer os sabores e os cheiros, os medos e as alegrias de um passado distante. O escritor de hoje já sabe o que aconteceu depois e o que o futuro reservava à gente de então.

   O livro recorda o tempo em que foi escrito.

   A partir dos livros de Charles Dickens, ficamos a saber como era realmente a vida de um rapazinho nas ruas de Londres, em meados do século XIX, no tempo de Oliver Twist. Através dos olhos de David Copperfield (coincidentes com o olhar de Dickens nessa época), vemos todo o tipo de personagens que ao tempo viviam na Inglaterra — que relações tinham, e como os seus pensamentos e sentimentos influenciaram tais relações. Porque David Copperfield era de facto, em muitos aspectos, o próprio Charles Dickens; Dickens não precisava de inventar nada, ele pura e simplesmente conhecia aquilo que contava.

   São os livros que nos permitem saber o que realmente sentiam Tom Sawyer, Huckleberry Finn e o seu amigo Jim nas viagens pelo Mississippi em finais do século XIX, quando Mark Twain escreveu as suas aventuras. Ele conhecia profundamente o que as pessoas do seu tempo pensavam sobre as demais, porque ele próprio vivia entre elas. Era uma delas.

   Nas obras literárias, os relatos mais verosímeis sobre gente do passado são os que foram escritos à época em que essa mesma gente vivia.

O livro recorda.

Tradução: José António Gomes

   Nascida em 1932, na Estónia, Aino Pervik publicou cerca de meia centena de livros para crianças, a par de poesia e narrativas para adultos. Distinguida com vários e prestigiosos prémios e traduzida em diversas línguas, obras suas têm sido adaptadas ao teatro e ao cinema. A velha mãe Kunks, Arabella, a filha do pirata, Paula aprende a sua língua (integrado numa série protagonizada pela mesma personagem), são apenas três dos seus títulos mais conhecidos.

A Mensagem do Dia Internacional do Livro Infantil é uma iniciativa do IBBY (International Board on Books for Young People), difundida em Portugal pela APPLIJ (Associação Portuguesa para a Promoção do Livro Infantil e Juvenil), Secção Portuguesa do IBBY.

Música e Poesia!

21 de Março - Dia Mundial da Floresta e da Poesia